Acusados de envolvimento na morte de procurador são condenados a 15 anos de prisão cada um
POLICIAL
01 de Julho de 2016

A sessão de julgamento de Elvi Aparecida Haag e Nilton Ferreira, acusados de envolvimento na morte do procurador de Chopinzinho, Algacir Teixeira de Lima, ocorrido no dia 16 de Março de 2015, terminou por volta de 23h30min desta quinta feira, no Fórum da Comarca de Guarapuava.

Ao final do julgamento o casal foi condenado a 15 anos de prisão cada um, pena que deverá ser cumprida inicialmente em regime fechado. Ao final do julgamento o casal foi removido para o mini presídio da 5ª subdivisão policial de Pato Branco. Elvi deverá cumprir a pena em uma ala feminina da subdivisão policial de Pato Branco e Nilton cumprirá a pena na Penitenciária de Francisco Beltrão.

O julgamento teve início às 09h00min da manhã de quarta feira e se estendeu até às 23h30min da quinta feira. Ao todo no primeiro dia foram ouvidos os acusados, além de 12 testemunhas que estavam arroladas, sendo que destas, três foram dispensadas.

Somente a fase de debates que aconteceu na quinta feira entre acusação e defesa, foram mais de 12 horas de embates entre as partes que terminou com a apresentação da sentença.

Após o júri, o promotor Dr Claudio César Cortesia, que atuou na acusação, falou do resultado. “Saímos com a sensação do dever cumprido e satisfeito com o resultado da sentença. Pedimos a condenação dos réus pelo crime de homicídio qualificado, onde os jurados acataram a tese do Ministério Público, demostrando justiça e coerência. Está demonstrado através das provas apresentadas que o casal intermediou o contato entre os mandantes e os executores do crime. Diante disso, esperamos para os demais, condenações com penas até mais elevadas, em razão da quantidade maior de qualificadoras. O Dr Algacir foi violentamente executado de forma covarde no pleno exercício da sua profissão, o qual na época dos fatos havia ajuizado diversas ações de improbidade administrativa, as quais ainda estão em tramitação. Sendo assim, há um comprometimento ainda maior do Ministério Público na busca pela verdade", disse o promotor.

O advogado de defesa dos réus, Dr Delomar Godói discordou da sentença e disse que já está providenciando recurso no Tribunal de Justiça. “A defesa não esperava esse resultado, achamos que foi injusto, sendo que já entramos com recurso, apresentando uma série de alegações que entendemos que são motivos suficientes para uma possível anulação do júri. Reservamo-nos o direito de apresentar essas razões recursais direto no Tribunal de Justiça e se uma dessas alegações for aceita, já teremos a anulação do júri e a consequente devolução do processo para à comarca de origem”, disse Godói. Em relação aos votos dos sete jurados, o advogado de defesa destacou que no quesito “se os jurados absolvem o réu”, os quatro primeiros votos foram pela condenação da Elvi Aparecida Haag. No mesmo quesito para o Nilton Ferreira, segundo o defensor, os três primeiros votos foram pela absolvição, sendo que depois, os três votos seguintes foram pela condenação e o voto de desempate foi pela condenação, fechando em 04 a 03, disse Delomar.

Os outros quatro acusados, Darci Lopes de Aquino, João Rosa do Nascimento, Jeferson Rosa do Nascimento e Giovane Baldissera, continuam aguardando decisão do Tribunal quanto ao recurso impetrado. Caso a decisão seja mantida, o próximo passo segundo o juiz será definir uma data para a realização do júri dos acusados.

 

LEIA TAMBÉM
CONTATO COMERCIAL
(46) 3242-1495
(46) 9913-0930
valdecirmendes30@hotmail.com
REDES SOCIAIS
PB Agência Web