Em 2011, um grupo de arqueólogos da Universidade Nacional de Trujillo descobriram, no Peru, um sítio arqueológico que poderia trazer algumas explicações sobre os povos que viviam ali antes do início da colonização espanhola no país.

Porém, conforme foi detalhado por eles em um artigo publicado nessa segunda-feira (11), as descobertas que eles fizeram ali mostraram um lado mais sinistro dos povos Chimu: o local servia como uma espécie de templo para a realização de sacrifícios humanos, especialmente de crianças. A informação é da Forbes.

Foram encontrados 137 corpos infantis e três esqueletos adultos, que os arqueólogos concluíram que foram mortos em um único ritual, realizado por volta de 1450. Além disso, 200 lhamas também estavam enterradas no local. Todos eles tiveram seus corações removidos, algo que foi evidenciado por um corte transversal presente em seus peitos.

O artigo diz que é possível que o ritual tenha sido feito como uma resposta ao fenômeno El Ninõ, que traz grandes chuvas para a região. “Como o Peru é o ponto zero do El Niño, o padrão do clima pode ter dizimado recursos que eram importantes a eles”, os pesquisadores escrevem.

Um museu será erguido no sítio arqueológico, e 140 árvores foram plantadas em homenagem àqueles que morreram no local.

 

Fonte: Nerdbunker.