"Quando a guerra pela valorização da comida caseira parecia quase perdida, medidas de isolamento social chegaram para ressuscitar nas famílias a necessidade de encarar diariamente o forno e o fogão. Entre as muitas vantagens da modernidade que podem ser apreciadas neste momento, está o fácil acesso online a receitas e dicas que ajudam os experientes a incrementar o cardápio e os novatos a não errar o básico, como arroz e feijão.

Nas redes sociais, proliferam perfis que incentivam os cozinheiros, com vídeos de passo-a-passo de receitas simples para o almoço ou uma incrementada sobremesa para o almoço de domingo. Outros canais investem em orientações básicas que vão desde técnicas de cortes até tira-dúvidas como “em que momento se deve salgar a água do macarrão” (sim, existe um momento certo para isso).

Fernanda Fontoura é a criadora do canal Comidinhas da Diana. Inicialmente voltado para alimentação infantil – época da vida em que muitas famílias se empenham ao máximo para evitar o consumo de industrializados -, Fernanda conta que observou o número de seguidores aumentar entre pessoas que não tinham experiência na cozinha, além de muitos que nem têm crianças na família.

“Tenho percebido a chegada de muitos novatos, principalmente porque estão sem funcionária em casa. Gente que sequer sabia cozinhar. Acabei de receber uma mensagem linda de uma mãe sem babá que não fazia nada e está super empolgada em cozinhar.”

comidinhasdadiana2.jpg (1988×2149)

Fernanda Fontoura, da Comidinhas da Diana. | Divulgação
Os números são expressivos. O Comidinhas da Diana tinha uma média de 3 milhões de views por semana, entre posts e stories. No meio da pandemia de Covid-19, passam de 7 milhões. Fernanda também tem quatro livros com receitas, cardápios e técnicas de congelamento. Segundo ela, em um momento em que muitas pessoas estão cortando gastos, a venda de seus livros segue sem qualquer prejuízo.

Rita Lobo é uma das militantes pela valorização da “comida verdade”, incentivando que os chamados alimentos ultraprocessados – aqueles com rótulos que contêm listas enormes de ingredientes e a maioria deles tem a função de aumentar o tempo de durabilidade do alimento – sejam excluídos completamente da alimentação diária. “A ideia é no almoço você garantir ali arroz, feijão e duas hortaliças porque assim você vai sair dessa quarentena com a saúde melhor do que você entrou. Alimentação saudável passa pela cozinha de casa”, disse Rita durante uma live em seu canal.

A autora de best-seller fala sobre comida em diversos canais: Instagram, Facebook, site e no canal por assinatura GNT. Ela se divide entre orientações para incrementar o cardápio cotidiano – com receitas muitas vezes complexas e cheias de etapas que podem levar até dias para serem concluídas – e aulas com o 1.0 da cozinha, como ensinar a fazer arroz ou sobre como usar os utensílios básicos culinários.

Pela televisão, o canal GNT é o que oferece o maior número de programas dedicados a arte de cozinhar. As opções vão desde a alimentação bem “natureba” com a Bela Gil, o uso da churrasqueira em praticamente todos os preparos com Felipe Bronze, a busca pela culinária regional com receitas tradicionais de Rodrigo Hilbert, entre outros. O canal disponibiliza todas as receitas em seu site, vários vídeos estão disponíveis no Youtube e todas as temporadas dos programas estão nas plataformas de streaming do canal.


Plataforma Redescubra a Cozinha

Além das receitas e reportagens publicadas periodicamente no site do Bom Gourmet, a multiplataforma de gastronomia da Gazeta do Povo, na revista mensal para assinantes e nas redes sociais, agora os leitores também têm uma canal que reúne receitas em vídeos. Tudo isso para incentivar as pessoas a se redescobrirem. Para contribuir neste processo, e tornar esse período mais leve e gostoso, foi lançada a campanha (re) Descubra a cozinha! (re) Descubra o amor!

“Com a nova rotina, veio um desafio: transformar esse momento da refeição em algo acolhedor, que reflita o ato de amor que é cozinhar. E esta sempre foi uma das missões do Bom Gourmet com as receitas e dicas que publicamos. Incentivar o leitor a se reconectar com a cozinha, a descobrir algo novo e se orgulhar daquilo que aprendeu”, afirma a editora do Bom Gourmet, Deise Campos.

O site do (re) Descubra a Cozinha! tem vídeos publicadas pelo Bom Gourmet e por seus parceiros, que abraçaram a ideia neste momento de isolamento social. A marca de cervejas Stella Artois (patrocinadora da plataforma Bom Gourmet), a rede de restaurantes Spedini (que patrocina o Bom Gourmet Negócios) e apoiadores do projeto (re)Descubra, como a empresa de águas Ouro Fino, já se juntaram à campanha. E, a cada semana, novas parcerias e novos vídeos ingressam na plataforma.

Para montar a plataforma, o Bom Gourmet resgatou as suas memórias em vídeos que foram gravadas e publicados ao longo dos últimos anos. Os vídeos do (re)Descubra a Cozinha ensinam pratos e receitas que vão desde água saborizada, preparos para o café da manhã, até guloseimas, carnes e opções vegetarianas, sem glúten e sem lactose. Para os iniciantes, a plataforma traz de volta episódios da série Dicas em 1 Minuto, um sucesso de audiência no ano de seu lançamento, em 2015. Nos vídeos, o chef Guilherme Guzela mostra (em 60 segundos) de forma simples e rápida o bê-a-bá de alguns pratos básicos do dia a dia.

Receitas colaborativas

Lançado em 2005, o Tudo Gostoso é uma plataforma em que as receitas são colaborativas. Ou seja, usuários do site é quem publica o passo-a-passo de um preparo. Muitas vezes as receitas carecem de informações adicionais e não existe uma padronização de termos e medidas. A dica para experimentar o conteúdo com segurança é observar a avaliação de outros usuários e os comentários – onde podem aparecer boas dicas sobre como melhorar o aproveitamento dos ingredientes ou facilitar etapas que possam parecer complicadas.

O Tudo Gostoso, que atualmente pertence ao grupo francês Webedia, também aderiu ao formato de vídeos nas redes sociais e já conta com 7,7 milhões de seguidores no Facebook. O perfil também tem se dedicado a dar orientações para além da receita, como a de higienização dos alimentos e da própria cozinha, além da manutenção dos equipamentos, como a conservação da panela antiaderente.

Nas redes sociais, os campeões de audiência são os perfis Tasty Demais e Tastemade Brasil – com mais de 19 milhões e 17 milhões de seguidores, respectivamente. Os dois apostam no formato vídeos curtos (entre 40 segundos e 6 minutos) focados no preparo dos pratos.


Dificuldades

Embora as medidas de isolamento social sejam um grande incentivo para os novos desbravadores da cozinha, o momento atual também impõe uma dificuldade extra. Não existe mais a facilidade de dar aquela “passadinha rápida” no mercado ou na mercearia para completar a lista de ingredientes da receita escolhida. Ou seja, em muitos casos é necessário improvisar com os itens que já estão na despensa, tarefa não muito simples, especialmente para os inexperientes.

“Substituição é uma questão que depende de testes e de prática na cozinha mesmo. Não é fácil, principalmente para uma pessoa iniciante. Não existe uma fórmula mágica. As pessoas acreditam muito que ‘troca a farinha de trigo pela farinha de arroz’, mas é um equívoco. Substituição é prática mesmo, quando a pessoa vai se inserindo na cozinha, ela vai fazendo testes com base em acertos e erros e vai pegando o jeito”, defende Fernanda Fontoura."
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/bomgourmet/receitas-pratos/isolamento-social-valorizou-a-comida-feita-em-casa-veja-onde-aprender-receitas-e-encontrar-inspiracao/
Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.