Google prometeu nesta sexta-feira alocar US$ 800 milhões para apoiar organizações de saúde e centros de pesquisa que respondem à pandemia de coronavírus. O valor também deve ajudar empresas afetadas pela crise.

A ajuda será em dinheiro, créditos em publicidade e serviços de computação em nuvem, de acordo com o presidente do Google, Sundar Pichai.

Desse total, US$250 milhões serão oferecidos em doações à Organização Mundial do Comércio e a mais de 100 organizações em todo o mundo que fornecem informações para interromper a expansão do coronavírus, segundo Pichai.

Cerca de US$ 340 milhões serão disponibilizados para que pequenas e médias empresas publiquem anúncios na rede de publicidade do Google. Essas empresas estão entre as atingidas pelo isolamento, devido ao risco do vírus.

"Esperamos que isso ajude a aliviar parte do custo de manter contato com seus clientes", disse Pichai em uma postagem na Internet.

 

Um fundo comum global de US$ 20 milhões em créditos para os serviços de hospedagem em nuvem do Google também estará disponível para pesquisadores e instituições acadêmicas que exploram maneiras de combater a pandemia ou que estão rastreando dados críticos sobre sua disseminação.

 

"Juntos, continuaremos ajudando nossas comunidades, incluindo empresas, educadores, pesquisadores e organizações sem fins lucrativos, a enfrentar os desafios futuros", disse Pichai.

 

O Google trabalha há um mês com seus parceiros para aumentar a produção de equipamentos de proteção, como máscaras para profissionais de saúde.

Os funcionários das divisões da Alphabet, incluindo Google, Verily e X, por sua vez, estão trabalhando em projetos, cadeia de suprimentos e assistência médica com fabricantes de equipamentos para aumentar a produção de respiradores hospitalares, necessários para manter vivos alguns pacientes com Covid-19, de acordo com Pichai.

 

 

Fonte: G1 Globo