O aplicativo de entrega de comida iFood anunciou nesta quarta-feira (25) medidas para ajudar os cerca de 140 mil restaurantes que estão na plataforma durante a crise do coronavírus. Entre as propostas, estão a antecipação dos pagamentos feitos no app e descontos nas comissões que são pagas para a empresa. As ações começam no dia 2 de abril e devem durar inicialmente por 2 meses.

O principal item é a aceleração no repasse dos valores recebidos via aplicativo para os restaurantes. Os estabelecimentos terão o dinheiro disponível em 7 dias, não mais em 30 dias. Com a decisão, o iFood projeta que serão injetados cerca de R$ 600 milhões na economia só no mês de abril.

O benefício será válido para todos os restaurantes com mais de 30 dias na plataforma que realizaram vendas a partir de 1º de março. A iniciativa foi possível após o iFood fazer parceria com o banco Itaú, que viabilizou todo o processo por meio da processadora de cartões Rede.

Indústrias de alimentos afirmam que o setor de foodservice (alimentação fora de casa) é um dos mais impactados nesta crise do novo coronavírus. Em São Paulo, desde terça-feira (24) apenas deliverys são permitidos, o que compromete o funcionamento de diversos restaurantes.

"Estamos atuando em prol dos restaurantes neste momento de crise. Entendemos que é hora de colaborar com a sustentabilidade da cadeia", afirma o vice-presidente de Estratégia do iFood, Diego Barreto.

Desconto nas comissões

Outra medida será uma desconto de 20%, em média, no valor cobrado de comissão junto aos restaurantes. A iniciativa será feita por um fundo de assistência, criado pela empresa, de R$ 50 milhões. A expectativa é que 132 mil pequenos e médios restaurantes sejam impactados.

"Nós não levamos em conta a geografia destes estabelecimentos. Restaurantes de todas as cidades do Brasil serão impactadas. Dependendo do patamar do restaurante dentro da plataforma, o desconto pode ser ainda maior", explica Barreto.

Sem custos para o restaurante na retirada

Com as grandes cidades interrompendo as atividades de restaurantes, permitindo apenas delivery e retirada no local, o iFood também anunciou que o valor arrecadado em taxas do serviço 'Pra Retirar' (no qual os usuários fazem o pedido via app e retiram diretamente no restaurante) será devolvido integralmente aos restaurantes parceiros.

Ou seja, se uma pessoa desejar comprar alguma coisa na padaria e não quiser ficar muito tempo fora de casa, ele poderá fazer um pedido pelo app para adiantar e só chegar no local para retirar o alimento. O dono do estabelecimento não precisará pagar nenhuma comissão para o iFood. Serão mantidas apenas as taxas de meio de pagamento do pedido.

Atualmente, o recurso está presente em cerca de 120 mil restaurantes localizados em mais de mil cidades em todo o país.

Ajuda aos entregadores

Na semana passada, a empresa já havia anunciado um fundo de assistência de R$ 1 milhão para auxiliar os cerca de 83 mil entregadores da plataforma. Este fundo tem como objetivo garantir renda igual a do mês anterior, além de cestas básicas e refeições.

Quem apresentar suspeitas ou casos confirmados da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, deverá relatar o problema no app, que o bloqueará das atividades por 15 dias e fará o pagamento para que ele consiga ficar em casa com alguma renda.

Para ajudar a evitar a proliferação da doença, a empresa reforça que os consumidores escolham pela entrega sem contato físico, opção que entrou recentemente no aplicativo.

"A gente está fazendo um trabalho enorme para que as pessoas tenham consciência da importância da entrega sem contato físico, para proteger a saúde dos colaboradores e consumidores", diz Diego Barreto.

Uber também criou auxílio para colaboradores

A Uber anunciou na terça-feira um programa nacional que dará auxílio financeiro por até 14 dias para os motoristas e entregadores (da plataforma Uber Eats) que estiverem com Covid-19 ou tiverem quarentena decretada por órgão de saúde.

De acordo com a empresa, 1 milhão de pessoas trabalha com o aplicativo no Brasil .

O valor recebido será uma média de ganhos diários do motorista nos 6 meses anteriores a 6 de março. Caso esteja usando o aplicativo a menos tempo que isso, o valor será uma média desde o início até a data.